top of page
  • Foto do escritorEtec de Ibitinga

HISTÓRIA DA ETEC


DATA: 30/08/2023 - A Escola Técnica Estadual de Ibitinga nasceu do sonho de alguns empresários locais de criar uma escola que fosse capaz de profissionalizar a mão-de-obra específica para o município, que agregasse valores a economia local, que é voltada à criação, produção e venda de produtos para cama, mesa, banho e decoração. Com esta ideia na cabeça, as forças vivas da cidade procuraram então o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza que acreditou nessa nova proposta educacional e criou dois cursos pioneiros no país: Desenho de Produtos de Enxovais e Decoração e Gestão da Produção de Enxovais e Decoração.

O desafio estava lançado. A cidade de Ibitinga começava a ouvir, muitos pela primeira vez, o nome “Paula Souza”, instituição esta que precisava, antes de mais nada, de um prédio, carteiras, cadeiras, mesas, equipamentos e pessoas habilitadas para manusear um Plano de Curso tão novo, que nenhuma faculdade havia ensinado o currículo contido naquelas páginas.

Antes mesmo de ter um teto, os trabalhos do que hoje é uma UNIDADE DE ENSINO precisavam se iniciar. A ETEC teve bons amigos na cidade dos quais ela não se esquecerá, principalmente da sua primeira casa, a Secretaria Municipal de Educação, que abriu suas portas para a Coordenadora de Implantação Prof.ª Célia Regina Pereira de Souza Gabriel, designada pela Diretora Superintendente, com a responsabilidade de montar uma escola, que até então tinha como patrimônio dois Planos de Cursos.

A primeira etapa a ser cumprida foi a busca por um prédio, em março de 2006 a primeira conquista, o sonho ganha paredes, velhas, mas sólidas. Um anexo da mais tradicional escola de Ibitinga deixa de ser propriedade da Secretaria Estadual de Educação e entra para a pasta da então Secretaria do Desenvolvimento Ciência e Tecnologia, hoje Secretaria do Desenvolvimento. Pronto, a Etec deixava de ser um sonho, virava a partir daquele Decreto de transferência, um projeto com algumas páginas escritas, era preciso concluir, sem a prerrogativa de fazer experimentos, pois já era sabido por todos que uma escola chegava ao município para ensinar o que de melhor eles já faziam, ao longo de muitos anos. Se esse projeto de escola expressasse sentimento, acredito que ela choraria de medo. Mas era preciso começar. Como? Ainda precisava de professores, funcionários e o principal – alunos. Toda parte administrativa caminhava em prol das regularizações burocráticas junto à Instituição, mobília do prédio e tantas outras coisas que somadas ao prazer de abrir um local tão digno como uma escola, caiu no esquecimento da história, mesmo tão recente. Mas, para que as atividades didático-pedagógicas fossem iniciadas ainda no ano de 2006 o caminho mais rápido era abrir as portas como Classes Descentralizadas; o projeto, então, passou a ser compartilhado com a Etec “Prof.ª Anna de Oliveira Ferraz de Araraquara, e começava então um longo caminho, achar professores habilitados para disciplinas que ministrariam conteúdos antes jamais ministrados – a saída foi buscar pessoas habilitadas em qualquer área de conhecimento porém, detentoras de experiência na área de criação e confecção de produtos para cama, mesa e banho. Abriu-se então o Concurso Público para Docentes – Edital nº.029/03/2006- Processo nº.1642/2006 e, desta forma estruturou-se o quadro docente. Outra etapa aguardava o projeto, era preciso montar o quadro discente, de 15 a 26 de maio de 2006 Ibitinga viveu pela primeira vez um período de inscrições para um Vestibulinho do Centro Paula Souza que resultou em 279 inscrições para 80 vagas oferecidas. Era visto que cidade esperava algo de bom desse projeto. Domingo 11 de julho de 2006, aconteceu com sucesso nosso 1º Vestibulinho que resultou em 80 matriculas efetivadas. Nesse momento da história nosso organograma era facilmente descrito: Coordenadora de Implantação, 08 Docentes, 80 Alunos e 02 funcionários cedidos pela Prefeitura Municipal.

Abrimos nossas portas no dia 23 de agosto de 2006 com vontade e determinação, porém com o grande desafio de ensinar algo maior do que nossos alunos já sabiam. Enfrentamos um grande problema que a história jamais esquecerá, tínhamos 54 máquinas eletrônicas de costura industrial, mas não tínhamos onde acomodá-las, onde ministrar as aulas de Operação de Máquinas e de Sistemas da Indústria de Confecção de Enxovais e Decoração, do 1º Módulo, assim como todas as outras disciplinas que dependiam das máquinas para desenvolver suas Bases Tecnológicas, a solução encontrada foi fazer uma parceria com o Sindicato da Indústria do Bordado – SINDICOB. As aulas aconteceram, mas o fato dos alunos se deslocarem para assistir as aulas fez com que a escola sofresse um grande abalo em termos de credibilidade. A Oficina foi construída pela Prefeitura Municipal que nos entregou a obra no ano de 2008 sem rede elétrica: era um galpão escuro. Apesar dos inúmeros esforços da administração da escola, esta situação permaneceu até o final do 1º Semestre do ano de 2010. Momento em que montamos nossa Oficina de Máquinas, definitivamente.

No ano de 2007 deixamos de ser Classes Descentralizadas e ganhamos nossa própria identidade, através do Decreto Estadual nº 51.880 de 06 de junho de 2007, publicado em DOE de 07/06/2007, nascia enfim a Escola Técnica Estadual de Ibitinga. Nesse momento apenas dois cursos para o município, mas já entendíamos que era preciso mais. No 1º semestre do ano de 2008 começamos a oferecer o Curso Técnico em Informática, uma habilitação que não esbarraríamos na falta de docentes habilitados. Neste mesmo semestre deixamos de oferecer o Curso Técnico em Desenho de Produtos de Enxovais e Decoração, devido a baixa demanda nos vestibulinhos somado ao pequeno número de concluintes. A evasão sempre foi companhia constante nesses anos, mas, ao mesmo tempo que assustava, mexia intimamente com a determinação dessa escola que veio para ficar e, para marcar seu território em janeiro de 2010 implanta o curso Técnico em Comércio, começava a fechar um ciclo de qualidade, Indústria, Informática e Comércio. Era preciso mostrar nossa cara para a cidade de Ibitinga e para o mundo, nada melhor então que participar da maior Feira de Bordados do país (FEBI) por três anos, apresentando trabalhos dos nossos alunos à cerca de 200 mil visitantes e recebendo pessoas especializadas nas áreas expostas. Por dois anos consecutivos também participarmos da FEETEPS (Feira Tecnológica do Centro Paula Souza) levando alunos e docentes mostrando que apesar de novos já temos competência. Nossa Unidade também sempre foi muito receptiva, da mesma forma que esperamos e recebemos alunos e docentes, também fomos agraciados com visitas de autoridades, à exemplo do hoje Vice-Presidente do Brasil, Dr. Geraldo Alckmin Filho, acompanhado de vários deputados federais e estaduais, assim como prefeitos e vereadores. Essa visita iniciava uma longa amizade entre a Etec de Ibitinga e os poderes estaduais e federais. Conseguimos assim que o prefeito do município honrasse um convênio firmado em outra gestão e concluísse obras inacabadas dentro do prédio. Passado esse momento, porém, no mesmo exercício de 2010, a Etec de Ibitinga conseguiu verbas do Centro Paula Souza melhorando assim sua estrutura física através de troca da calha da marquise na entrada do prédio, colocação de gradil na rampa de entrada (altura de 6 metros no topo), substituição da porta de entrada, elevação do muro lateral (derrubado quando da construção da oficina), colocação de portão , Instalação de portão eletrônico no estacionamento ,colocação de corrimão nas escadas dos três andares. Estaríamos prontos, se não fosse a vontade de continuar melhorando a cada dia, o que fizemos até hoje é história, estamos prontos para escrever o futuro.

A história continuou a ser escrita, pelos Diretores que passaram ao longo desses anos, hoje em 2023, hoje, sob a Direção da Prof.ª Rosa Maria Ellero Zuliani, estamos passando por mais uma reforma estrutural, nos preparando para oferecer novos cursos ao munício e com duas modalidades de Ensino Médio Integrado ao Técnico, duas classes descentralizadas além de inúmeros cursos técnicos modulares no período noturno. Nesse mesmo ano de 2023, a Direção conseguiu realizar um sonho da comunidade, o tal esperado laboratório de Ciências para que todas as aulas acontecessem de prática e não apenas teóricas.

Nesse dia, há 17 anos nesse mesmo prédio, 08 docentes entraram para assinar seus contratos de trabalho e na sequência abriram as portas das salas para receber seus alunos. Dois deles ainda permanecem aqui, a Prof.ª Marinete Ap. Assêncio da Silva (Física) estava entre esses oito corajosos, se tornou Diretora da Etec em 2011, hoje mora com Deus e olha pelos nossos alunos nas Olimpíadas da Vida – que nos enchem de orgulho com suas inúmeras medalhas.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page